Scientia

Noticias

Noticias

Aniversário de Juruti terá Semana de Arqueologia

Promover o conhecimento, a apropriação e a valorização da herança cultural provenientes de sítios arqueológicos encontrados na região de Juruti durante os Estudos de Impacto Ambiental da Alcoa no Município. Para isso, a Secretaria Municipal de Cultura de Juruti, em parceria com a empresa Scientia Consultoria, com apoio da Alcoa, realiza no período de 2 a 5 de Abril a “I Semana de Arqueologia”.

A programação abrange palestras, exposição de peças arqueológicas resgatadas, exibição de filme e apresentação de peças teatrais, com enfoque no patrimônio arquitetônico. As atividades serão realizadas no auditório da Secretaria Municipal de Saúde e fazem parte das comemorações do 125º aniversário de fundação do município. O público-alvo do evento é o cidadão jurutiense, com a finalidade de despertar sobre a importância do patrimônio arqueológico e sobre a história local e regional.

Por exemplo, por meio da exibição do filme “Narradores de Javé”, dirigido por Eliane Caffé, que trata sobre o patrimônio cultural e a construção de uma barragem, haverá uma discussão para tratar desde o patrimônio familiar chegando ao patrimônio histórico-arqueológico. “Todas as atividades estão co-relacionadas e têm como foco o patrimônio histórico do município. As discussões serão importantes para a população local entender a importância dos sítios arqueológicos e a valorização da herança cultural”, diz Mauricio Macedo, gerente de Sustentabilidade e Assuntos Institucionais da Alcoa Mina de Juruti.

A descoberta de 85 sítios arqueológicos na região de Juruti foi possível por meio dos trabalhos de pesquisas realizados a partir de 2002, por conta dos Estudos de Impactos Ambientais na área de implantação da mina de bauxita da Alcoa. Em solo jurutiense foram encontrados vestígios de antigos objetos, como fragmentos de cerâmica e de pedra datados de cerca de dois mil anos. Os resgates e análises do material encontrado ocorreram entre 2006 e 2007 durante salvamento dos sítios Terra Preta 1 e Terra Preta 2, onde foi instalada a área do Porto da Alcoa Mina de Juruti.

Por conta das descobertas, a população local está sendo preparada para lidar com a preservação do patrimônio cultural. É também uma exigência legal do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Desde o dia 7 de Março, os educadores da rede pública do município têm participado de cursos de Educação Patrimonial. Até agora cerca de 160 professores da zona urbana já participaram do primeiro módulo do curso. A idéia é que eles atuem como multiplicadores do conhecimento sobre os sítios arqueológicos presentes na região de Juruti. Professores da zona rural, estudantes, artesãos e oleiros também participarão de outros módulos do curso que serão ministrados até 2009.

A partir do mês de Maio, oleiros e artesão de Juruti serão convidados a participar de oficinas de cerâmica. Segundo a arqueóloga Lílian Panachuk, da Scientia Consultoria, a idéia é trabalhar a produção de réplicas de material arqueológico. “Não podemos comercializar o material arqueológico, então vamos produzir réplicas e buscar mercado de vendas, tanto para Juruti como para Santarém e toda a região. A idéia é povoar o Pará com as réplicas feitas em Juruti”, explica a arqueóloga.

Lílian Panachuk diz que o vasto material encontrado nas áreas pesquisadas foi produzido há cerca de dois mil anos. “Por meio desse trabalho identificamos um grupo ceramista antigo na região, chamado de Pocó, que está relacionado à região tapajônica, extremamente importante pelo fato de ser pouco conhecido na arqueologia. É bom entender que se trata de um volume grande de material, aproximadamente 100 mil fragmentos cerâmicos em áreas escavadas”, frisa. Mas o que mais chama a atenção são os vestígios deixados por populações antigas, como a Pocó, que, de acordo com a arqueóloga, tem poucos representantes na região tapajônica, onde foi originada.

O professor Marcelo Augusto Barbosa Lopes, da Escola Municipal Raimundo Souza Coelho, participou do curso de Educação Patrimonial e aprovou a iniciativa. “O conhecimento permitirá trabalhar a interdisciplinaridade nas salas de aula. A iniciativa da Alcoa abriu as portas para que pudéssemos conhecer esse rico patrimônio histórico”, afirma.

FONTE: Aniversário de Juruti terá Semana de Arqueologia. Alcoa, jan. 2008
Disponível em:
www.santoantonioenergia.com.br

Incentivo a iniciativas científicas, culturais e educativas

  • Apoio ao 4º Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto – 4º CBAI, que aconteceu no período de 22 a 26 de Outubro de 2018, na cidade de Fortaleza (CE). Link
  • Parceria com o Clubinho da Tartaruga do Programa Quelônios da Amazônia, desenvolvido pelo Instituto Chico Mendes para a Biodiversidade.
  • Apoio parcial ao XVII Seminário de Iniciação Científica do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG/MCT), Belém, 2009.
  • Apoio parcial ao II Encontro da Regional Sudeste da Sociedade de Arqueologia Brasileira - SAB Sudeste, Rio de Janeiro, 2009.
  • Apoio parcial ao VI Encontro da Sociedade Brasileira de Arqueologia - SAB Sul, Florianópolis, 2008.
  • Apoio parcial ao XVI Seminário de Iniciação Científica do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG/MCT), Belém, 2008.
  • Apoio parcial ao Seminário de Resíduos Sólidos, Coleta Seletiva Solidária e Responsabilidade Socioambiental do Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 2008.
  • Apoio parcial ao Seminário do Programa de Coleta Seletiva Solidária, Belém, 2008.
  • Apoio parcial à publicação da revista Vestígios: Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, v.2, n.2, jul./dez. 2008.
  • Apoio parcial ao XV Seminário de Iniciação Científica do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG/MCT), Belém, 2007.
  • Apoio parcial ao Evento Comemorativo ao Ano Internacional do Planeta Terra: Água e Meio Ambiente na Amazônia do Museu Paraense Emílio Goeldi. Belém, 2007.
  • Apoio parcial à publicação da revista da Sociedade de Arqueologia Brasileira – SAB, v.14/15, 2003.

Últimas Notícias

08/2014

Making of ...

RS Web Interactive: agenciars.com.br