Scientia

Noticias

Noticias

Incentivo ao conhecimento arqueológico da região

No dia 7 de março, 160 professores de Juruti participaram do primeiro módulo do Curso de capacitação em Educação Patrimonial. Eles foram qualificados para multiplicar o conhecimento sobre os sítios arqueológicos presentes na região de Juruti, encontrados durante os Estudos de Impacto Ambiental do empreendimento que a Alcoa realiza no município.

Voltado para professores das zonas urbana e rural, o curso é fruto da parceria entre Alcoa e Scientia Consultoria, empresa contratada que executa os planos de Controle Ambiental (PCAS) de Prospecção e Resgate Arqueológico e de Educação Patrimonial da Mina de Juruti.

A arqueóloga Lílian Panachuk, da Scientia Consultoria, diz que o vasto material encontrado nas áreas pesquisadas foi produzido a cerca de dois mil anos. “Por meio desse trabalho de pesquisa, identificamos um antigo grupo ceramista chamado de Pocó, que está relacionado à região Tapajônica, importante pelo fato de ser pouco conhecimento na arqueologia”, comenta.

O professor Marcelo Augusto Barbosa Lopes, da Escola Municipal Raimundo Souza Coelho, participou do curso e aprovou a iniciativa. “O conhecimento permitirá trabalhar a interdisciplinaridade nas salas de aula. A iniciativa da Alcoa abriu as portas para que pudéssemos conhecer esse rico patrimônio histórico”, afirma.

NAS ESCOLAS
Depois da qualificação, os professores vão repassar os conhecimentos a estudantes da rede pública de ensino, o que deve ocorrer no mês de abril, durante a Semana de Arqueologia, dentro da programação do aniversário de 125 anos de Juruti. Serão realizadas atividades educativas com crianças, como exibição de filmes e apresentação de palestra para jovens e adultos, além da exposição de peças arqueológicas resgatadas em Juruti.

EM OFICINAS
Oleiros e artesãos devem receber as informações repassadas no Curso a partir do mês de maio, por meio de oficinas de cerâmica. Segundo Lílian Panachuk, a idéia é estimular a produção de réplicas de material arqueológico. “Nós não podemos comercializar o material encontrado em Juruti, então vamos produzir réplicas feitas em Juruti”, explica a arqueóloga.

FONTE: Incentivo ao conhecimento arqueológico da região. Revista Juruti, Juruti, ano 2, n. 19, mar 2008.

Incentivo a iniciativas científicas, culturais e educativas

  • Apoio ao 4º Congresso Brasileiro de Avaliação de Impacto – 4º CBAI, que aconteceu no período de 22 a 26 de Outubro de 2018, na cidade de Fortaleza (CE). Link
  • Parceria com o Clubinho da Tartaruga do Programa Quelônios da Amazônia, desenvolvido pelo Instituto Chico Mendes para a Biodiversidade.
  • Apoio parcial ao XVII Seminário de Iniciação Científica do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG/MCT), Belém, 2009.
  • Apoio parcial ao II Encontro da Regional Sudeste da Sociedade de Arqueologia Brasileira - SAB Sudeste, Rio de Janeiro, 2009.
  • Apoio parcial ao VI Encontro da Sociedade Brasileira de Arqueologia - SAB Sul, Florianópolis, 2008.
  • Apoio parcial ao XVI Seminário de Iniciação Científica do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG/MCT), Belém, 2008.
  • Apoio parcial ao Seminário de Resíduos Sólidos, Coleta Seletiva Solidária e Responsabilidade Socioambiental do Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, 2008.
  • Apoio parcial ao Seminário do Programa de Coleta Seletiva Solidária, Belém, 2008.
  • Apoio parcial à publicação da revista Vestígios: Revista Latino-Americana de Arqueologia Histórica, v.2, n.2, jul./dez. 2008.
  • Apoio parcial ao XV Seminário de Iniciação Científica do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG/MCT), Belém, 2007.
  • Apoio parcial ao Evento Comemorativo ao Ano Internacional do Planeta Terra: Água e Meio Ambiente na Amazônia do Museu Paraense Emílio Goeldi. Belém, 2007.
  • Apoio parcial à publicação da revista da Sociedade de Arqueologia Brasileira – SAB, v.14/15, 2003.

Últimas Notícias

08/2014

Making of ...

RS Web Interactive: agenciars.com.br